sábado, 21 de junho de 2008

Aniversário do Pai- 21 de Junho

Pai,

Hoje não te vejo, não te telefono,
Fazes anos, é o teu dia!
Mas, afinal eu não te chamo,
E era o que me apetecia!

Pai, a vida tem corrido,
Com mensagens de esperança.
Há sempre um dia mais sofrido,
Em que não existe mudança.

E, tal como agora, assumo,
Há amargurados momentos!
É difícil alterar o rumo,
Da saudade, dos lamentos!

Tanto havia para te dizer!
Tanto havia para te contar!

2 comentários:

Armando Soares disse...

Escreves bem sempre Didiu. Porque escreves com o coração. Por isso nunca saberia ser júri de um concurso de poessia. Porque o que quer que venha "de dentro" e seja genuíno, é sempre imensamente belo porque de único se trata.

Partilho também o teu poema e assumo-o como se de meu se tratasse, porque nele também me revejo e ao que sinto no dia a dia.

Beijos mil,


Mandinho

didium disse...

Este será o nosso poema!