quinta-feira, 3 de junho de 2010

Homenagem a Leonel Cosme

Em Angola, no Lubango, uma das pessoas que me habituei a admirar e a respeitar, foi Leonel Cosme. Porque pertencia ao grupo de jornalistas (Mário Saraiva de Oliveira, Diamantino Pereira Monteiro, Carlos Meleiro, Costa Figueiras, Maurício Soares, entre outros) que eu via sempre junto e solidários com os Bombeiros Voluntários. Porque também, Leonel Cosme e sua mulher Professora Gina, eram um casal simpático, culto. A Professora Gina foi professora do ensino primário, nomeadamente da Escola 98 no Bairro da Lage, onde ensinou centenas de alunos, entre os quais a minha irmã Didium.

1972 - A receber condecoração dos Bombeiros Voluntários do Lubango, pelos relevantes serviços à comunidade e aos bombeiros em particular.


Leonel Cosme nasceu em Guimarães (1934) é um escritor apaixonado por África e pela lusofonia, que fundou as Publicações Imbondeiro e editou textos de Agostinho Neto e José Luandino Vieira, entre tantos escritores do Brasil, Portugal ou Cabo Verde.
Viveu 30 anos em Angola (Lubango), para onde partiu, em 1950, com a família. Regressou definitivamente a Portugal em 1987. Aqui prosseguiu, no Porto e em Lisboa, a actividade jornalística que já desenvolvia em Angola, na Imprensa e na Rádio. Em 1990, retirou-se do jornalismo profissional para se dedicar à actividade literária, representada por colaboração em jornais e revistas da especialidade, obras de ficção e ensaio histórico-literário. Paralelamente, tem participado em congressos, seminários e colóquios, promovidos, designadamente, por institutos universitários de Portugal, do Brasil e de Itália. Em trabalho de investigação, deslocou-se duas vezes ao Brasil, com o patrocínio da Fundação Calouste Gulbenkian. É colaborador da Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa.




Títulos de alguns dos seus livros:

A Separação das Águas (Angola 1975-1976)
Agostinho Neto e o Seu Tempo
A Revolta
A Terra Da Promissão (A revolta II)
A Hora Final (A Revolta III)
Cultura e Revolução em Angola
Crioulos e Brasileiros de Angola
Chão das Raízes

1970 - Convívio na Estalagem da Tundavala
 (Leonel Cosme de camisa branca virado para a foto e o Pai de frente e no meio de Francisco Espinha e Maurício Soares)
1971 - Outro convívio, sendo Leonel Cosme o terceiro a contar da esquerda e a seu lado esquerdo o Pai.

2 comentários:

didium disse...

Lembro-me bem da Professora Gina.

Anónimo disse...

A Professora Gina tb foi prof da minha irmã na 98. Ao ver estas fotos recordei o rosto do Leonel Cosme que, entretanto, esquecera.

Cláudia